Resenha: Cidades de Papel

Título: Cidades de Papel
Autor: Jhon Green
Editora: Intrínseca
Para adquirir o livro: clique aqui
Sinopse: Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma.
Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.

Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.
Já fazem uns bons anos que eu li esse livro e agora eu me pergunto o porque eu nunca fiz uma resenha dele aqui no blog. Então nada melhor que começar o ano com esse livro bem amorzinho do nosso amado Jhon Green né.
Bom, Cidades de papel vai nos contar a história de um garoto chamado Quentin Jacobsen, um estudante em vias de se formar no ensino médio. Se você já leu algum dos livros do John Green como O Teorema Katherine” ou o “Deixe a Neve Cair” você vai conseguir notar o mesmo padrão de personagens nesse livro aqui também.
Quentin é um garoto nerd que tem poucos amigos, Radar e Ben (essa é uma marca do Jhon Green se você reparar). Um fato interessante é o Jhon Green sempre cria backgrouds engraçados para os amigos do personagem principal da história, no caso de Ben, ele acabou sendo apelidado de Ben-Mija-Sangue por causa de uma infecção renal que teve no passado, já Radar é um garoto negro e que tem um segredo curioso, seus pais são obcecados por Papais Noéis negros e isso é um fato bastante interessante na história e acaba causando muitas risadas.
Quentin é apaixonado por sua vizinha e amiga de infância Margo Roth Spiegelman que é muito popular na escola (isso também é uma marca do nosso amigo Green). A história começa a se desenvolver quando Margo invade o quarto de Quentin em uma noite aleatória e praticamente o obriga a entrar em uma aventura com ela, mais tarde descobrimos que essa ‘aventura’ era na verdade uma grande vingança, já que Margo descobre que seu ex namorado a estava traindo, além disso ela também quer se vingar de seus ‘amigos’ que sabiam de toda a história e a deixaram na completa ignorância.
No dia seguinte Quentin está muito esperançoso, já que a vingançã foi um sucesso, ele tem a esperança de que finalmente vai conseguir se aproximar de verdade da garota de seus sonhos. Infelizmente seu sonho se torna um pesadelo quando ele descobre que Margo está desaparecida.
A história se desenrola quando Quentin, Lacey (amiga de Margo e namorada de Ben) Ben e Radar resolvem seguir supostas pistas deixadas por Margo e que somente Quentin poderia decifrar.
É interessante ver, como todos os personagens vão amadurecendo durante essa busca, principalmente Quentin que sai completamente de sua zona de conforto para encontrar Margo. Porém quando finalmente, depois de muitas aventuras, risadas e alguns sustos eles finalmente encontram a garota, mas aí a história tem um final diferente do que esperávamos.
Acredito que uma das lições que conseguimos tirar desse livro é de que nem tudo é o que parece ser e de que apresar de já sabermos disso, é um grande tapa na cara perceber que as pessoas tem vontades próprias, vidas próprias e pensamentos próprios que muitas vezes nem mesmo elas entendem. Que as pessoas são apenas idealizações que fazemos (e sinceramente, como fazemos não é mesmo?) e aí fica a reflexão pra você fazer ao final deste livro (e talvez pras suas próprias relações):
Quentin realmente amava Margo, ou ele amava a imagem que ele criou da Margo?
E aí o que achou dessa resenha? Espero que eu tenha convencido vocês a ler esse livro maravilhoso, e espero de coração não ter falado de mais kkkk.
Você sabia que esse livro já virou filme? Isso mesmo e já está disponível na Nexflix, vai ter resenha do filme em breve aqui no blog então fica atento nas novidades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s